Plataforma para rastreio da retinopatia diabética em desenvolvimento no INESC TEC

SCREEN-DR. Assim se chama o projeto que o INESC TEC (Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores - Tecnologia e Ciência) está a desenvolver com vista a criar uma plataforma automática e distribuída para auxiliar os oftalmologistas no rastreio da retinopatia diabética. O projeto está a ser desenvolvido com a colaboração da Carnegie Mellon University, Universidade de Aveiro, Administração Regional de Saúde do Norte e a BMD Software, Centro Hospitalar de São João e First Medical Solutions.
:
  

No site da Universidade do Porto lê-se que "a plataforma tem por base tecnologias de informação e comunicação que avaliam a qualidade das imagens recolhidas do fundo ocular dos pacientes, detetam as imagens normais e atribuem um grau de severidade à patologia, auxiliando o processo de tomada de decisão dos oftalmologistas".

Aurélio Campilho, investigador do INESC TEC e professor na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), explica que a plataforma de análise de imagem vai permitir “um tratamento precoce e mais eficaz, para uma população diabética mais alargada”.

De referir que a Diabetes é uma doença com um crescimento rápido a nível mundial e uma das suas complicações mais comuns é a retinopatia diabética, a principal causa de cegueira no mundo industrializado. Apesar de se estimar que cerca de 50 por cento dos diabéticos tipo 2, e de 70 por cento tipo 1, vão desenvolver a doença, esta pode ser evitada com tratamento precoce se diagnosticada numa fase inicial.

Mais Lidas