Coimbra acolhe laboratório e festival internacional de artes performativas “Linha de Fuga”

“Linha de Fuga” é um laboratório e festival internacional de artes performativas que decorrerá em Coimbra, entre 10 de novembro e 1 de dezembro. Para lá da dimensão de Festival aberto ao público, com a apresentação de espetáculos em vários locais da cidade, “Linha de Fuga” realiza um laboratório que pretende promover o encontro entre artistas nacionais e estrangeiros para intercâmbio de práticas artísticas.
:
  

Ana Borralho, João Galante, Federica Folco, Luciana Fina, Miguel Pereira, Sergi Faustino e Thomas Hauert são os artistas da primeira edição que, paralelamente à programação do festival, vão dirigir os seminários do “Linha de Fuga”. O laboratório reunirá 20 profissionais das artes (teatro, dança, vídeo, música, escrita), selecionados por convocatória internacional, que tenham interesse em confrontar os seus projetos e as suas práticas com as dos artistas convidados e dos seus pares.

Cada participante do “Linha de Fuga” é desafiado a partilhar um trabalho em processo (que poderá encontrar-se em distintos momentos de desenvolvimento) que será o seu objeto de estudo nos seminários práticos. O objetivo é promover o confronto de práticas artísticas, num processo de trabalho colectivo e participado, que se desenvolverá num campo de experimentação, aprendizagem e partilha de conhecimentos.

Pensado como uma Zona Autónoma Temporária, segundo o conceito de Hackim Bey, “Linha de Fuga” terá momentos de trabalho coletivo (onde os participantes podem apresentar, discutir e desenvolver os seus projetos artísticos em relação com outros criadores e outras práticas) e períodos de trabalho pessoal com diferentes metodologias (colaboração com outros participantes, acompanhamento individual com os artistas convidados ou desenvolvimento da própria pesquisa). Pensado especificamente para Coimbra, o laboratório é uma instância de transmissão e produção de conhecimento através de práticas de criação. O festival, que é realizado em parceria com entidades da cidade, decorre em vários locais, com uma cadência de apresentações semanais, e pretende discutir a importância da arte como fator social crítico a nível local e global.

“Linha de Fuga” propõe estabelecer uma relação entre participantes do laboratório, artistas convidados e públicos da cidade, num circuito que permita expor distintas práticas e pensamentos artísticos, tanto apresentando à cidade obras da artistas-mediadores, como os processos em trabalho dos artistas participantes do laboratório.

“Linha de Fuga” é um projeto com curadoria de Catarina Saraiva, promovido pelas Produções Real Pelágio, estrutura financiada pela Direção Geral das Artes/Ministério da Cultura. A Câmara Municipal de Coimbra/Convento de São Francisco, Teatro Académico Gil Vicente, A Escola da Noite, Círculo de Artes Plásticas de Coimbra, Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e o Citemor (co-produtor do Laboratório) são entidades parceiras.

Mais Lidas