Saltar para conteúdo

Lente de Tó Mané coloca fotografia portuguesa nos tops mundiais

António Manuel Silva - mais conhecido por Tó Mané - levantou-se às 04.00 do dia 28 de Janeiro de 2013 e foi para a Nazaré fotografar McNamara e amigos, ainda sem imaginar que o clique certeiro que disparou o iria projectar para alguns dos mais importantes meios de comunicação à escala mundial. Em conversa com o VerPortugal, o fotógrafo e surfista nortenho confessa que sentiu um “orgulho imenso” quando a sua imagem foi distinguida pela edição de fotografia da revista Time.

Em trabalho para a empresa municipal Nazaré Qualifica, Tó Mané foi convidado para fazer a cobertura do Zon North Canyon Show. O fotografo, que admite que já tinha “imaginado esta imagem”, levou consigo até à Nazaré uma equipa de trabalho, para garantir fotografias captadas de vários angulos, já que Tó estava numa “posição de risco”, onde não sabia se conseguiria uma imagem ou não. O fotógrafo conta que quis “dar identidade à fotografia”, com elementos como o farol e o pontão, contrariando as fotografias mais comuns, que mostram apenas uma onda gigante, e que poderiam ser reproduzidas em qualquer parte do mundo.

A fotografia, que em Janeiro apareceu na primeira página do jornal britânico The Times, ocupa agora o 9.º lugar na lista das “45 Fotografias Com Maior Impacto de 2013” do site norte-americano BuzzFeed e ainda na seleção das “Fotografias Mais Surpreedentes de 2013” da Lightbox, a página de Internet da revista Time dedicada à fotografia. “Na segunda onda de Garrett vi logo que tinha um frame especial”, conta o fotógrafo, revelando que “sempre sonhou em ter uma fotografia com este enquadramento”. Tó Mané admite ainda que como fotógrafo está “nas núvens”, mas que se sente muito mais feliz porque “Portugal e o surf foram vistos pelo mundo inteiro como uma notícia positiva”, contrariamente ao que acontece no dia-a-dia.

Envolvido em vários projectos, inclusivé de benificiência, o fotógrafo do Porto garante que vai continuar a fotografar surf “até morrer” e revela não ter um destino de eleição. “Não sou dos que dizem que gostavam de ir fotografar para o Havai ou para um sítio específico. Quero viajar; gostava de estar onde estiverem as boas ondas, onde estiverem os meus amigos e a minha família. Vivo o momento”.

Comentários