Nova marca de pijamas de luxo alia têxteis portugueses a fabrico queniano

A marca Walls of Benin aplica padrões africanos a tecidos 100% portugueses, através de impressão digital feita em Guimarães. Depois de vender para Ásia, Estados Unidos e Reino Unido, a marca quer arrancar com a confeção de loungewear e pijamas no Quénia para incentivar a criação de emprego.
:
  

Para iniciar a produção no Quénia, a startup já estabeleceu parcerias com pequenas fábricas africanas, onde trabalham aproximadamente 120 pessoas.  “Acreditamos que as marcas podem ter mais impacto nas comunidades pobres ao criar empregos e a incentivar o crescimento económico”, afirma Chi Atanga, CEO da Walls of Benin.

Incubado no UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, a Walls of Benin usa têxteis ecológicos e de luxo, como seda e tencel.  Chi Atanga escolheu Portugal para sediar a empresa por reconhecer no país uma forte componente de inovação e tecnologia, bem como pelas competências técnicas e da indústria tradicionais. 

“Os planos futuros da empresa são ambiciosos, queremos ser vistos como uma Farfetch africana. Por isso, considerei que o Porto seria um ótimo lugar para desenvolver o negócio, aqui encontrei as condições certas: um forte setor de fabrico e bons tecidos”, refere o promotor da startup.

Fundada em junho de 2015 no Porto, a Walls of Benin já marcou presença num programa de aceleração nos EUA, recebeu financiamento do programa H2020 e investimento de um business angels britânico. 

Para iniciar a produção em África, a Walls of Benin vai avançar com uma campanha de crowdfunding na plataforma kickstarter.

Mais Lidas