Astronauta análogo português “mostra” em Coimbra o caminho para Marte

Na próxima semana a Coimbra Space Summer School vai apoiar jovens empreendedores a criar negócios inspirados no Espaço. A iniciativa conta com a participação de João Lousada, astronauta análogo português que esteve isolado no deserto de Omã numa missão que simulou as condições de vida em Marte.
OeWF Florian Voggeneder: Jo\ao Lousada
Jo\ao Lousada   OeWF Florian Voggeneder

De 12 a 14 de setembro, a Coimbra Space Summer School vai apoiar cerca de 30 jovens no desenvolvimento de projetos inovadores que incorporem tecnologia espacial. São três dias de formação que vão dar aos participantes acesso a conhecimento, tecnologias e recursos gerados nas missões espaciais e nas atividades científicas de exploração do Espaço.

O objetivo é estimular a criação de soluções inovadoras para negócios terrestres (em áreas como cidades inteligentes, transportes, saúde, agricultura e ambiente) ou para o mercado espacial comercial, o chamado New Space.

A iniciativa é organizada pelo Instituto Pedro Nunes (IPN), que coordena o Centro de Incubação de Empresas da Agência Espacial Europeia em Portugal, em parceria com o Centro de Investigação da Terra e do Espaço da Universidade de Coimbra (UC), o Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas (LIP), o Observatório Geofísico e Astronómico da UC e o Museu da Ciência da UC.

Astronauta análogo português é um dos convidados

Coimbra Space Summer School culmina com uma sessão aberta a toda a comunidade, a realizar-se no dia 14 de setembro, sexta-feira, às 14 horas, no Museu da Ciência da UC, intitulada ‘Space is the Place’. A sessão começa com o astronauta análogo português, João Lousada, que vai partilhar a sua experiência na missão AMADEE-18 que, em fevereiro, simulou a vida em Marte, na árida paisagem do deserto de Omã, perto da Arábia Saudita.

Durante um mês, este “astronauta em terra” viveu em isolamento com uma equipa de cinco pessoas que realizaram uma série de experiências de preparação para futuras missões humanas a Marte.

A sessão conta ainda com a presença do Gabinete do Espaço da Fundação para a Ciência e Tecnologia que irá abordar a estratégia nacional para o Espaço (Portugal Espaço 2030), aprovada pelo governo no início deste ano, que tem como objetivo lançar Portugal no “negócio” do Espaço, envolvendo a participação de entidades nacionais e estrangeiras.

A sessão termina com o debate ‘Para quando um astronauta português?’, que terá a participação do Gabinete do Espaço da FCT (Política e Estratégia), GMV Portugal (Indústria Aero-Espacial), Rui Silva do UC - LIP (Academia), João Lousada (Candidatos a Astronautas) e Carlos Cerqueira do IPN (Inovação e Empreendedorismo).

A moderação estará a cargo do comunicador de ciência Miguel Gonçalves, coordenador da Sociedade Planetária e apresentador da rubrica semanal ‘A Última Fronteira’, na RTP, onde descodifica temas científicos. É também comentador convidado para questões relativas à astronomia.

Mais Lidas