SAK Project: as caneleiras de Viseu para o mundo do futebol

Personalizadas e à medida de cada jogador de futebol. É esta a política da SAK Project, uma startup de Viseu pioneira na modernização de caneleiras para jogadores da bola. A empresa utiliza um conjunto de tecnologias e materiais de última geração na produção das caneleiras personalizadas feitas à medida da perna do atleta em modelos 3D. Em pouco mais de um ano a empresa conseguiu que mais de metade de tudo o que produz seja canalizado para o estrangeiro.
:
  

A ideia nasceu de Filipe Simões e Rui Pina em Viseu. Já abriu escritório em Lisboa e em pouco mais de 12 meses conseguiu aumentar a equipa de oito para 18 pessoas. Também em pouco mais de um ano a empresa conseguiu colocar para exportação 65 por cento de toda a produção. As  caneleiras SAK Project já são utilizadas pela maioria dos jogadores da seleção nacional e por jogadores de grandes clubes do futebol nacional e internacional: Benfica, Porto, Real Madrid, Atlético, Juventus, Chelsea, Manchester United, Manchester City, Bayern Munique, entre outros.

Mas porque razão se lembraram os empreendedores de criar uma empresa que produzisse caneleiras à medida de cada perna? Bem, Filipe Simões, um dos mentores do projeto, explica que em conversa com alguns jogadores de futebol começaram a aperceber-se que eles consideravam as tradicionais caneleiras são desconfortáveis e ineficazes. "Esta informação vinha mais tarde a ser confirmada por um estudo realizado por investigadores americanos que submeteram a testes as caneleiras das grandes marcas. Estes investigadores foram contundentes nas conclusões: as caneleiras tradicionais são perigosas. Não protegem convenientemente e promovem uma falsa sensação de segurança. Fundamentalmente, duas razões foram identificadas: uso de materiais de fraca qualidade e um desajuste entre a forma das caneleiras e as pernas dos atletas, o que potencia a focalização da energia de um impacto. Ironicamente, as pernas de atletas de referência mundial, que são até o maior ativo dos seus clubes, encontravam-se desprotegias pelo uso de caneleiras tradicionais, sendo a ironia ainda maior se levarmos em conta que este é o único equipamento de proteção usado no futebol”, disse em entrevista ao Económico Filipe Simões.

Ora bem, na altura Filipe e Rui eram professores. Mas mesmo assim decidiram aliar o conhecimento que tinham em materiais com os conhecimentos em tecnologia para desenvolver um novo conceito de proteção para futebol: caneleiras feitas à medida em materiais de última geração. Os empreendedores não abandonaram o trabalho que tinham a tempo inteiro. O projeto começou a ser desenvolvido à noite e aos fins-de-semana. Onde? Na garagem da casa de Rui Pina. Assim, e ao fim de cinco anos de investigação, nasceu a SAK Project – “Safety Against Kicking”, que em português quer dizer "Segurança Contra Pontapés”.

Para a confeção das caneleiras são usados materiais de última geração que encontram aplicação na indústria militar. Para que estas sejam feitas à medida das pernas de cada atleta é feito um rigoroso scan 3D.  Para além da personalização da forma das caneleiras, a SAK Project personaliza também os gráficos das caneleiras, tornando este produto verdadeiramente único e o espelho do corpo e da personalidade do jogador.

E o feedback? Tem sido o melhor que a empresa podia ter. Mas o duo de empreendedores queria mais. E em 2012 decidiram procurar investidores para desenvolver ainda mais o conceito e chegar às necessidades dos mais de 260 milhões de praticantes de futebol em todo o mundo. Assim - lê-se no Económico - no final de 2012, a empresa tornou-se numa sociedade anónima ao receber investimento de duas estruturas de investimento de referência: Armilar Venture Partners (na altura, Espírito Santo Ventures) e Busy Angels”.

A SAK Project já se vende também em lojas de desporto nomeadamente nos centros comerciais do Colombo e Norte Shopping. Nestes dois locais estão disponíveis os scanners 3D que permitem criar o modelo das pernas do utilizador. A empresa, que dispõe de site de e-commerce (www.sakproject.com), lançou ainda pilotos adicionais fora de Portugal, muitas vezes a pedido de lojas e distribuidores, tendo em pouco tempo expandido para 16 países.

De referir que na Europa a SAK Project tem mais de uma centena de pontos de vendas e que neste momento, o negócio internacional traduz-se em 65 por cento da faturação. Nos próximos anos vai representar uma fatia maior. Mas neste momento Itália, Reino Unido e Espanha são os mercados mais relevantes. Os mentores do projeto pretendem, ainda, atingir níveis de faturação anuais superiores a um milhão de euros a curto prazo pelo que estão a engendrar um novo plano de expansão internacional.

Mais Lidas