Homenageado médico que revolucionou cardiologia de intervenção em Portugal

A Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular (APIC) vai prestar homenagem ao médico Ricardo Seabra Gomes, responsável pela realização da primeira angioplastia coronária em Portugal, no próximo dia 17 de novembro, no Centro de Conferências de Tróia.
:
  

"Este ano a cardiologia de intervenção está a assinalar, em todo o mundo, os 40 anos da primeira angioplastia coronária, realizada em 1977 pelo médico Andreas Gruentzig, em Zurique. Em Portugal, o médico pioneiro foi Ricardo Seabra Gomes que, em 1984, fez a primeira angioplastia, o que pode ser considerado como uma verdadeira revolução na medicina”, explica João Brum Silveira, presidente da Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular.

A cerimónia de homenagem, moderada pelos médicos João Brum Silveira (presidente da APIC) e João Morais (presidente da Sociedade Portuguesa de Cardiologia) contará igualmente com a presença de médicos internacionais pioneiros na implementação e desenvolvimento da técnica de angioplastia (um procedimento médico que tem com o objetivo melhorar o fluxo sanguíneo nas artérias e veias do corpo humano).

Ricardo Seabra Gomes é um reconhecido cardiologista de intervenção português. Foi Coordenador Nacional para as Doenças Cardiovasculares (2005-2008) e foi Diretor do Departamento de Cardiologia do Hospital Santa Cruz (1984-2005). Entre 1973 e 1978, foi investigador no National Heart Hospital e Cardiothoracic Institute, em Londres. Foi presidente da Sociedade Portuguesa de Cardiologia entre 2001 e 2003. É autor ou co-autor de mais de 500 artigos científicos e tem quase 1.200 resumos publicados.

A Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular (APIC), uma entidade sem fins lucrativos, tem por finalidade o estudo, investigação e promoção de atividades científicas no âmbito dos aspetos médicos, cirúrgicos, tecnológicos e organizacionais da Intervenção Cardiovascular. Para mais informações consulte: www.apic.pt

 

Mais nesta secção

Mais Lidas

:
Do valor da palavra