Ana Povo descobre técnica para tornar tratamento da incontinência mais eficaz

Ainda é cedo falar em resultados uma vez que a nova técnica apenas foi aplicada em dois utentes. Mesmo assim, Ana Povo, médica-cirurgiã, disse ao VerPortugal estar convencida de que o tratamento da incontinência está mais eficaz. No âmbito de uma investigação desenvolvida no decorrer do doutoramento na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Ana descobriu como melhorar a qualidade de vida de quem tem uma malformação do sacro e, por conseguinte, tem incontinência. A solução passa por colocar elétrodo, através da pele, para estimular os nervos responsáveis pela inervação das estruturas do corpo humano que controlam a continência. Este elétrodo fica ligado a um neuro estimulador que é semelhante a um pacemaker cardíaco.
:
  

Segundo dados estatisticos são cerca de 600 mil as pessoas que sofrem de incontinência. Sobretudo mulheres. Quais as principais causas para esta maleita?

Depende se estamos a falar de incontinência urinária ou incontinência fecal. No caso da incontinência fecal esta pode aparecer no pós-parto, após cirurgias ao ânus, doenças neurológicas ou mesmo surgir sem causa aparente.

Foi movida pelos números que desenvolveu esta investigação para melhorar a qualidade de vida de quem sofre de incontinência?

Como cirurgiã geral tive contacto com vários tipos de problemas e interessei-me, desde cedo, por doentes afetados por estas patologias. Nesta área desenvolvi interesse particular pelo tratamento da incontinência fecal, por ser uma situação com grande impacto na qualidade de vida dos doentes, e por haver muitas poucas terapêuticas disponíveis para o seu tratamento.

Quais os principais passos dados durante a investigação?

A investigação é um estudo anatomo-imagiológico aplicado a um procedimento cirúrgico (a estimulação nervosa sagrada), e foi desenvolvido em três fases: Estudo Anatómico; Estudo Imagiológico e Construção do Modelo Tridimensional.

Houve financiamento para este trabalho? Quem mais a ajudou?

O trabalho não teve qualquer tipo de financiamento.

Apesar de não ser psicóloga, considera que a incontinência pode provocar problemas do foro psíquico?

Não sou a pessoa certa para responder a esta questão. Apenas posso afirmar que interfere grandemente na qualidade de vida destes doentes.

Em que consiste exatamente o tratamento?

O tratamento consiste na introdução de um elétrodo através da pele, para estimular os nervos responsáveis pela inervação das estruturas do corpo humano que controlam a continência. Este elétrodo fica ligado a um neuro estimulador que é semelhante a um pacemaker cardíaco.

O valor do tratamento é muito elevado para o Estado?

O tratamento por doente não é propriamente barato. Contudo, se pensarmos em custos indiretos em Saúde, o tratamento não é caro, uma vez que muitos destes doentes se encontram de baixa médica prolongada por não conseguirem trabalhar.

Já foi testado? Que resultados foram obtidos?

A estimulação nervosa sagrada é já utilizada nestes doentes há vários anos, com eficácia clínica comprovada, com uma melhoria dos sintomas superior a 50 por cento em cerca de 80 por cento dos doentes. A sua aplicação em doentes com malformação do sacro (o objetivo da investigação) é que é a novidade. Até à data ainda apenas dois doentes foram tratados, e ainda com curto período de duração, pelo que será ainda prematura falar de resultados obtidos.

A investigação foi feita no âmbito do seu doutoramento. Deu como concluída ou há pretensão de a aprofundar?

Em ciência nunca nada é dado como concluído. No caso do meu doutoramento o próximo passo será agora aplicar as descobertas no tratamento dos doentes.

É necessária a manutenção do dispositivo colocado ou mesmo a sua substituição?

O dispositivo deve ser substituído cada cinco a 10 anos.

Mais nesta secção

Mais Lidas

:
Do valor da palavra