Tuber Bock: batata doce do Algarve usada para lançar nova cerveja

Já sabe o que vai fazer este fim de semana? Então porque é que não aproveita para fazer uma viagem até Aljezur? Porquê? Porque hoje, sexta-feira, arranca o Festival de Batata Doce. E então? Então...sabia que a batata doce do Algarve está a ser usada para produzir cerveja artesanal? Não acredita? Chama-se Tuber Bock e chegou ao mercado no âmbito de uma parceria estabelecida entre duas cervejeiras artesanais: uma de Silves, a Mafarada, e outra de Odemira, a Ale n´ Tejo.
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10210636123320984&set=gm.1658218794242332&type=3&theater:
    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10210636123320984&set=gm.1658218794242332&type=3&theater

Tuber Bock. Este é o nome da nova cerveja artesanal que, este fim-de-semana, se vai dar a conhecer ao público no decorrer do Festival da Batata Doce de Aljezur. Ao todo, para a apresentação, foram produzidos 500 litros para os quais foram precisos 50 quilos de batata doce da variedade Lira, aquela que é típica da região algarvia e que, segundo um dos envolvidos no projeto, é a melhor de Portugal.

Mas como é que tudo isto nasceu? Bem, ao VerPortugal Nuno Gonçalves um dos envolvidos no projeto explicou que foram necessários muitos meses de trabalho de investigação para que o produto chegasse ao mercado. "Houve vários ensaios, várias experiências para se perceber as quantidades exatas de batata a usar para produzir a nova cerveja. Aproveito para salientar que no decorrer da investigação contamos com a colaboração da Associação de Produtores de Batata Doce de Aljezur. Foram os seus elementos que nos ajudaram a escolher o melhor tipo de ingrediente e em que quantidades deveria ser usada".

A nova cerveja "Tuber Bock", nome inspirado em tubérculo (tuber) e num estilo de cerveja (bock), é bastante leve, baseia-se no estilo Dunkles Bock, é de baixa fermentação o que a torna menos amarga e mais fácil de beber. " A batata doce contribui para que a cerveja tenha um sabor mais maltado, pelos açúcares não fermentáveis", explica Nuno Gonçalves deixando bem claro que na produção não são usados açúcares. A nova cerveja pode ser provada em garrafa ou "a copo" no decorrer do Festival. No entanto já pode ser adquirida em vários locais do Porto e Lisboa. "Durante estes dias podem ser efetuados negócios para que a Tuber Bock (produzida em conjunto com os mentores da cerveja artesanal "Ale n´Tejo") seja colocada à venda noutros pontos de Portugal" explica Nuno Gonçalves.

Laranja e outros sabores

Nuno Gonçalves tem em conjunto com o irmão André Gonçalves um outro projeto, a Cerveja Artesanal "Mafarada". E em fevereiro passado lançaram uma cerveja de laranja, para aproveitar o fruto que caracteriza esta zona do Algarve e o facto de ser na freguesia de Algoz que mais se produz laranja, a nível nacional. "Era para ser um produto sazonal mas acabamos por continuar a produzir uma vez que a aceitação desta cerveja foi excelente", explica Nuno  dando nota de que em breve chegarão ao mercado cervejas artesanais com novos sabores. "Um deles é mesmo inovador", acrescenta o empreendedor que prefere manter os novos projetos, por enquanto, no segredo dos deuses.

Mais nesta secção

Mais Lidas

:
Do valor da palavra