VAMOS: testado com sucesso protótipo para exploração subaquática de minas terrestres

VAMOS! Assim se chama o protótipo do projeto europeu que vai ajudar na exploração da riqueza dos recursos minerais subaquáticos na Europa. O Viable Alternative Mine Operating (VAMOS), custou 12,6 milhões de euros e envolveu diversas entidades. Entre elas a destacar o INESC TEC. Os demais envolvidos foram o SMD Ltd (Reino Unido) e o Damen Dredging Equipment (Holanda). O prototipo foi testado no Reino Unido, no final do mês de outubro, com a ajuda dos parceiros que têm estado a trabalhar nos vários componentes do projeto.
:
  

Um grupo de cerca de 30 pessoas assistiu ao teste. Os visitantes, divididos em pequenos grupos, receberam instruções de segurança e foram levados de barco até à embarcação de lançamento e recuperação na área de demonstração localizada em Lee Moor (Devon, Reino Unido). Foi nesse local que os visitantes puderam inspecionar o veículo de mineração e testemunhar a implantação e recuperação do protótipo.

O teste incluiu também uma visita ao centro de dados e controlo de unidades, com recurso à realidade virtual, onde toda a maquinaria é controlada e onde todos os dados são recolhidos em tempo real. 

O Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC) tem sido um dos parceiros com um papel preponderante neste projeto que está a construir um protótipo robótico para exploração mineira subaquática e todo o equipamento associado de lançamento e recolha que estão a ser usados para levar a cabo testes sobre depósitos minerais em quatro locais diferentes na União Europeia. 

"Este projeto foi originalmente conceptualizado por mim e pelo Professor Eduardo Silva do INESC TEC. Estamos muito satisfeitos com os resultados positivos desta primeira fase de testes, onde podemos destacar pontos, tais como o facto de termos conseguido superar os problemas civis e ter tido bom acesso ao poço em Lee Moor, de termos aumentado a capacidade de diferenciação dos minerais, aumentado o processamento de dados quase em tempo real e fornecer boas imagens aos pilotos ou o facto dos sistemas de controle integrado terem funcionaram bem”, refere Stef Kapusniak, coordenador técnico do projeto VAMOS e responsável pelo projeto na SMD.

Uma vez que o protótipo do VAMOS se baseia em técnicas de mineração em mar profundo, vai garantir uma opção mais segura e menos poluente para o aproveitamento económico de depósitos minerais que atualmente não são exploráveis por métodos tradicionais.

"Estamos muito contentes com os resultados alcançados até esta fase do projeto, confirmando que esta nova ‘forma’ de minerar vai contribuir para a recuperação da indústria mineira europeia. Numa primeira fase permitindo considerar voltar à atividade numa parte substancial de minas abandonadas nos últimos anos e numa segunda fase contribuir com tecnologia para a mineração do mar profundo”, refere Eduardo Silva, responsável pelo VAMOS por parte do INESC TEC. 

O VAMOS está agora a ser desmobilizado no Reino Unido e preparado para ser transportado até ao próximo local de demonstração. 

Galeria

Mais nesta secção

Mais Lidas

:
Do valor da palavra